Planejamento financeiro: dicas para melhorar as suas finanças

Seja para atingir metas, sair do vermelho ou simplesmente organizar os gastos pessoais, o planejamento financeiro é fundamental para ajudar a construir uma relação melhor entre você e o seu dinheiro

Guarde essas palavras: meta, comprometimento e disciplina, e continue conosco para aprender de uma vez por todas a fazer o seu dinheiro trabalhar a seu favor e de seus objetivos.

Defina seus objetivos

O primeiro passo para uma planejamento financeiro objetivo é definir as suas metas! Você pode separá-las por categoria de curto, médio e longo prazo. 

  • Metas de curto prazo: o que você quer conquistar em um ou dois anos, como uma viagem, por exemplo;
  • Metas de médio prazo: o que você quer conquistar daqui cinco anos, como se formar ou casar, por exemplo; 
  • Metas de longo prazo: o que você quer conquistar com mais de seis anos, como aposentadoria, comprar uma casa ou carro, por exemplo.

Depois de defini-las é hora de colocar um prazo para conquistar cada uma delas. Isso vai servir como um ponto de partida para realizá-las.

Avalie a sua situação financeira 

Saber o quanto você ganha e gasta mensalmente é fundamental para ter mais controle do seu dinheiro. Anote em um caderno ou planilha todo o dinheiro que entra na sua conta mensalmente. 

Depois, faça um levantamento dos seus gastos, tanto os fixos (aluguel, condomínio, parcela de financiamento) quanto os variáveis (alimentação, higiene, entretenimento). 

É a partir desses dados que você terá uma real dimensão de que pode ser evitado ou cortado daqui para frente e para onde seu dinheiro está indo. 

Escolha uma estratégia

Para atingir seus objetivos financeiros será necessário definir uma estratégia coerente com o seu estilo de vida. 

Para as metas de curto e médio prazo, como a aquisição de um bem de consumo, cortar alguns gastos e economizar um certo valor por mês pode ser o suficiente para concretizá-la. 

Já para metas a longo prazo, como adquirir um imóvel, por exemplo, você pode optar por estratégias de investimento e fazer o seu dinheiro render para conquistar o seu objetivo lá na frente. 

Use planilhas

É necessário compreender que você precisa de muita organização para desenvolver sua educação financeira e, as planilhas são formas práticas e fáceis para concretizar isso. 

Você pode utilizar o Excel ou planilhas prontas que dividem seus ganhos e gastos por categoria. Para ajudá-lo neste processo, separamos algumas opções gratuitas para você experimentar: 

Viva abaixo do que você ganha

Se você ganha R$ 3 mil e gasta R$ 3 mil, guardar dinheiro para uma reserva de emergência ou investimento se torna algo impossível. 

Parece difícil viver abaixo do que se ganha, mas você pode se propor desafios para guardar dinheiro. Além de serem simples e práticos, eles tornam o processo mais divertido e empolgante.

Desafio das 52 semanas 

Esse desafio é uma ótima opção para quem quer guardar dinheiro aos poucos, sem comprometer o orçamento do mês. 

A ideia é guardar dinheiro toda semana por um ano. Ou seja, durante 52 semanas. Você pode começar com pouco e ir aumentando ou definir uma quantia e guardar o mesmo valor todas as semanas. 

Por exemplo, se você começar guardando R$ 3, e ir dobrando o valor a cada semana que passar, ao final do ano você terá juntado R$ 4.123.

Desafio do zero

O desafio do zero é bem simples de se colocar em prática. Funciona assim: o dinheiro na sua carteira sempre deve ter o final zero.

Por exemplo, se você tiver R$ 32, guarde R$ 2 e fique com R$ 30. Se tiver R$ 47, guarde 7 e fique com R$ 40. Pode parecer pouco, mas ao final do mês, esses trocados vão fazer toda a diferença no seu orçamento. 

Erros comuns no planejamento financeiro   

Contabilidade mental

O maior erro na hora de gerir o dinheiro e fazer um planejamento financeiro é tomar as decisões a partir de “contabilidade mental”. Por mais que você tenha uma boa memória, uma coisa ou outra vai acabar passando. 

Quando falamos de planejamento financeiro nos referimos a organização! Então nada melhor que anotar tudo em um caderno ou planilha. 

Objetivos fora da realidade

Traçar metas deve ser algo que esteja dentro da sua realidade econômica. Se você coloca sonhos muito altos, a chance de não conseguir cumprir o compromisso é grande. Afinal, nada mais desmotivador do que não conseguir alcançar um objetivo. 

Por isso, procure definir objetivos que vão de acordo com a sua realidade financeira. Evite incluir metas como “ganhar na Mega Sena” e outros sonhos que dependem de terceiros ou de sorte para se tornar realidade. 

Uma meta concreta tem as seguintes características: 

  • Específica;
  • Mensurável;
  • Realista;
  • Tem um prazo; 
  • É ligada a sua realidade financeira. 

Colocando em prática 

A parte mais fácil de um planejamento financeiro é colocar tudo no papel, o desafio, portanto, é tirar dele! 

Adotar hábitos mais saudáveis em relação ao seu dinheiro vai te ajudar a ter mais controle do seu orçamento, conquistar seus objetivos e fugir da inadimplência. Então que tal colocar tudo isso em prática hoje mesmo? 

Gostou do conteúdo? Conta para gente o que achou das dicas. Até a próxima! 😉 

Esse artigo foi escrito por: Luma Holanda (redatora da Foregon).

você pode gostar também
Comentários
Carregando...